Estatísticas
Temos 108 usuários registradosO último usuário registrado atende pelo nome de FernandaOs nossos membros postaram um total de 8730 mensagensem 344 assuntos
Contador de Visitas

Compartilhe
Ir em baixo
Convidado
Convidado

Cotas em concursos publicos - A Discussão.

em Ter 01 Out 2013, 13:09
Relembrando a primeira mensagem :

eu tava comentando agora em outro topico e citei cotas para negros em vestibulares federais e concursos publicos.

Particularmente falando sou contra a cota para negros, afinal de contas, hoje em dia no Brasil, os negros tem tantas chances quanto os brancos, mas nao é esse o foco do meu topico.

Eu tava pensando o seguinte, embora eu nao saiba até onde isso seria considerado invasivo nas questões pessoais de cada um, mas levando em conta a dificuldade que os homossexuais e transgeneros não têm de colocação no mercado de trabalho (ja comentamos ate a exaustão isso em outro topico também), será que nenhum politico ligado ao mundo LGBT nao aceitaria o desafio de criar cotas em concursos publicos para colocação desse publico no mercado de trabalho de forma digna?

Digo isso por que muitas deixam o colégio no ensino médio, isso quando concluem, isso no caso das meninas que desde a adolescencia têm problemas com a comunidade, mas tem muitas, muitas mesmo que são formadas, que têm conhecimentoss profissionais suficientes para viver e administrar qualquer função, e nao são posicionadas por questões de suas qualidades sexuais.

Quantas meninas sucumbem à prostituição, nao pq dá mais dinheiro (sabemos que dar na esquina é mais lucro que muito trabalho por aí), mas pq simplesmente não têm outras opções por falta de incentivo social.

Aquela ideia da "vila LGBT" é bonita e utopica, mas essa aqui nao... bastava duas duzias de votos no senado e no congresso, e pronto (a parte dificil são os votos, depois de votado, a sociedade que se vire em aceitar hahaha)

Acho que a aceitação social, tem que partir de um exemplo, e ONGs têm bons exemplos, mas nao sao seguidos, agora se o governo desse uma força e mostrasse que homossexuais e transgeneros não são monstros, aos poucos a sociedade se acostumaria a ponto de nao se importar muito...

Convidado
Convidado

Re: Cotas em concursos publicos - A Discussão.

em Qui 28 Maio 2015, 16:51
Eu sou contra a todo e qualquer "auxilios do estado", salvo para deficientes físicos e mentais, sobretudos para estes últimos! Negros, homosexuais, transgêneros tem de abrir as portas e lutar contra preconceitos na "marra", por meio da organização civil e jamai spor tutela do estado tornand-se refém de partidos! Não somos incapazes, nem menos dotados que os demais cidadãos. Quando aceitamos "cotas" devido a preconceitos aceitamos que somos menos capazes, mais frágeis, menos "homens", menos mulheres etc. Podemos e devemos lutar por nós mesmas em sermos melhor do que a média, o que faz alguns negors para vencer preconceitos a assim abrir portas, dando exemplos e calando a boca dos racistas e mundado de fato a sociedade, ainda que aos poucos! Cada um com sua opinião, respeito todas, mas na minh apercepção quem deseja "tutela" o estado por ser negro, trans, imigrante, etc é um mas exemplo para o seu grupo!
Convidado
Convidado

Re: Cotas em concursos publicos - A Discussão.

em Dom 25 Set 2016, 18:08
Eu tambem acho que esse lance de cotas para qualquer tipo de pessoa que não possua alguma limitação é estranho. Cotas para negros ou gay ou trans, por exemplo, não possuo nenhuma limitação fisica que me impeça de fazer o mesmo serviço que fazia antes de me assumir, na empresa o pessoal estranhou um pouco e agora ta de boa. Atendo as empresas do mesmo jeito que antes e se não quiserem meu serviço que vão procurar outro, mas o que falo para todos os que desejam se declaram trans é que se planejem e estudem porque tem preconceito e não é com lei que tira isso, é mostrando para o mundo que o traveco pode sim consertar um equipamento eletronico, que não importa cor opção ou aparencia, que a capacidade não depende disso, mas é preciso estudo alias mais estudo e esforço que o normal para mostrar ao mundo que vc é bom no que faz. Eu quero a partir do ano que vem abrir um curso profissionalizante para trans, espalhar um monte de tecnicas e tecnicos em eletronica e bagunçar a sociedade. E ajudar quem não teve a oportunidade de se planejar antes da transição. E acredito que é atraves da competencia que se vence qualquer forma de preconceito. Antes a lei dava porrada na gente, como o governo inglues fez com o Allan Turring (assistam o filme O jogo da imitação) agora a lei pune quem da porrada na gente. Isso pelo menos ja garante uma condição minima para se mostrar para a sociedade. Mas ainda existe muito preconceito, principalmente com trans. E como falei, é sendo mais competente que os outros que se vence isso. E com o tempo a cara de espanto dos peões na industria recebendo ordem da engenheira que era engenheiro fica ate divertida!
avatar
stefanyemian
CD Diva
CD Diva

Re: Cotas em concursos publicos - A Discussão.

em Seg 26 Set 2016, 08:23
Olá!
Essa é uma discussão que pode acalorar muita gente!
Mas eu concordo com a Mariza.
Quando o governo faz uma cota, ele tá dizendo ao resto que estes são diferentes. Isso pra mim já é uma maneira de segregar e dividir. Isso pra mim é Racismo disfarçado de Lei.
E um ponto em que a Mariza tocou e eu concordo plenamente, é o conhecimento, se vc tem uma pessoa que resolva seu problema, seja ela homem, mulher, gay, travesti, crossdresser e outros tipos afins... duvido que vc deixe de resolver somente pela aparência da pessoa.
Se você prova ser capaz, não vejo o porquê de recusar...
MAS.... o que mais vemos infelizmente, são casos de pessoas que se vitimizam por serem gays, homossexuais, travestis... sei que a sociedade é difícil, mas se fazer de vitima também não ajuda.
Parabéns para a Mariza!!! adorei seu pensamento, e que dê certo seu projeto do curso!

_________________

São José do Rio Preto - SP
www.cdplace.org
avatar
Akai San
CD Avançada
CD Avançada

Re: Cotas em concursos publicos - A Discussão.

em Ter 31 Jan 2017, 14:23
O Banco do Brasil saiu na frente em garantir um direito aos travestis, transexuais e transgêneros. Enquanto vários movimentos de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT) lutam para defender a homologação do uso do nome social, os funcionários do banco já podem ser socialmente reconhecidos desde sexta-feira (27). O público trans poderá ajustar, mediante pedido do próprio funcionário, o nome que usa em seu crachá, nos cartões de visitas, carimbos e também no e-mail institucional.
Também para clientes. O banco também estende essa possibilidade aos clientes, exceto em operações que exigem, por questões legais, nome de registro.
Conteúdo patrocinado

Re: Cotas em concursos publicos - A Discussão.

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum