Fórum para Crossdressers, Transgêneros e Supporters
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Últimos assuntos
» Inversão de papéis no sexo: pessoas que curtem contam suas experiências...
Dom 12 Nov 2017, 19:45 por Akai San

» Quadrinhos CD/TS
Sab 04 Nov 2017, 13:52 por Akai San

» Cross Cam!!
Qua 01 Nov 2017, 08:49 por stefanyemian

» 8 coisas que todos precisam saber sobre a próstata
Ter 31 Out 2017, 15:30 por stefanyemian

» O fetiche da inversão de papéis é mais antigo do que você imagina
Sex 06 Out 2017, 19:42 por juh.cdzinha

» Top 7 Regras de Lingerie
Qua 04 Out 2017, 07:24 por kinkyceline

» Nome social no CPF
Qua 23 Ago 2017, 17:38 por Luisa_2u

» Espiritismo e CDing
Qua 23 Ago 2017, 14:28 por stefanyemian

» Filmes relacionados ao mundo cd
Qui 03 Ago 2017, 17:15 por VanessaRinaldi

» O QUE É SER BISSEXUAL?
Sex 28 Jul 2017, 13:33 por stefanyemian

Tópicos mais ativos
videos de transformações e afins
Quadrinhos CD/TS
grupo de brolita
SUGESTÕES DIVERSAS - "SAU"
Vestimentas na Bíblia
Inferno - Realidade ou invenção?
Você deixaria seu filho assistir o desenho de um super heroi Crossdresser?
Divulgação de Blog's
Dicionário Crossdressing Place
Crossdressing Clube em Campinas - SP
Estatísticas
Temos 695 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de Adriana

Os nossos membros postaram um total de 25120 mensagens em 1280 assuntos
Contador de Visitas

Compartilhe | 
 

 Formado com destaque em curso para vigilante, travesti diz que homofobia impede trabalho

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Niele
Moderadora
Moderadora
avatar


MensagemAssunto: Formado com destaque em curso para vigilante, travesti diz que homofobia impede trabalho    Ter 01 Out 2013, 10:36

É esperado que um vigilante tenha postura firme, coragem e saiba se impor. Essas características não faltam a Milena Sara Sandim. Ela deixou de ser André aos 14 anos e hoje, aos 28, é a primeira travesti formada vigilante no país. A coragem de assumir a orientação sexual, que marcou a vida pessoal, no entanto, parece atrapalhar a profissional.
- Quando passei a morar com o Alessandro (seu marido), me interessei pela atividade dele, que é vigilante há anos - conta ela, que se formou no curso em maio e, desde então, tenta sem sucesso entrar no mercado de trabalho.
No curso de vigilante, Milena recebeu menção honrosa. Foi nota 10 em prevenção e combate a incêndio e conquistou média 8,51, com aprovação sem ressalvas em armamento em tiro e primeiros socorros. Quando se candidata a uma vaga de trabalho, Milena precisa se identificar como André, com a observação de que é travesti. Nunca foi chamada para uma entrevista sequer.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Milena Sara, formada com menção honrosa no curso profissionalizante para vigilante Foto: Rafael Moraes / Extra

- A sociedade me cobra uma profissão que ela considere digna. Me qualifiquei naquilo que gosto e agora a mesma sociedade me fecha as portas e me inclina novamente para as ruas. Entrei para um curso de formação, aprendi a abordar, imobilizar, atirar. Me joguei no chão, rastejei, mas o difícil mesmo é ficar aqui cinco meses, tendo me candidatado a todas as vagas de Barra Mansa e Volta Redonda, e não ter recebido um retorno sequer. Em São Paulo, fiz ponto e consegui ganhar até R$ 4 mil por mês. Já me prostituí quando foi preciso e estou me esforçando para ter uma vida diferente. Travesti não pode ficar restrito à rua ou ao salão de beleza.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Milena: aprovação sem ressalvas em tiro e primeiros socorros Foto: Rafael Moraes / Extra

Ela mora com Alessandro Mario Sant’Anna, de 23 anos, em Barra Mansa, na casa que ela construiu com o dinheiro conquistado na rua. A prostituição em São Paulo, onde viveu dos 14 aos 23 anos, também pagou os 600 mililitros de silicone dos seios, o Metacril (substância sintética usada para preenchimento estético) nas nádegas e coxas e a plástica no rosto.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Milena e o companheiro Alessandro: ele não tem dificuldade de encontrar emprego Foto: Rafael Moraes / Extra

Desde que se conheceram pela internet em 2010, o marido de Milena nunca ficou desempregado, passando por três firmas diferentes.
- E eu não consigo - lamenta Milena.
Em Volta Redonda, segundo ela, um travesti consegue R$ 4 mil por mês prostituindo-se. Já o salário base mais benefícios do vigilante, diz Alessandro, chega a R$ 1,4 mil. Mas, enquanto a oportunidade não chega, Milena treina para se manter em forma e longe da depressão.
- Caminho para manter meus 74 quilos. Levantar peso, não é sempre, para não ficar musculosa - conta ela, do alto de seu 1,76m, na academia improvisada pelo marido.
Alessandro herdou o gosto pelo trabalho como segurança do pai adotivo, um oficial do Exército que reprova o casamento do filho. A família de Milena apoia o casal e mora na casa ao lado.
Segundo a diretora do Sindicato dos Vigilantes de Volta Redonda e Sul Fluminense, Valéria Martins, o mercado de trabalho para mulheres já enfrenta preconceitos na profissão.
- As empresas só selecionam homens. Para cada 100 contratados, menos de dez mulheres conquistam uma vaga. Acredito que exista um preconceito ainda maior no caso de uma travesti.
Coordenador do projeto Damas, da Prefeitura do Rio, que busca a capacitação e a inserção de travestis no mercado de trabalho, Carlos Alexandre Lima diz que até mesmo empresas de recurso humanos criam obstáculos para fazer encaminhamento de travestis para vagas de emprego.
- A resistência das empresas é imensa. Nunca deixou de existir. A inexistência de tal dificuldade é exceção.
Cláudio Nascimento, coordenador do programa estadual Rio Sem Homofobia, diz que travestis e transexuais são o segmento mais perseguido na comunidade LGBT.
- Existe um estigma muito grande sobre elas. A maioria não consegue terminar o ensino fundamental. As que conseguem, encontram extremas dificuldades para inserção profissional - afirma Nascimento.


Leia mais: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



------------------------------------------------------------

Nota da copiadora:

Eu achei interessante saber que há no Rio alguém preocupado em inserir as travestis no mercado de trabalho!!!

Sei que é dificil, e o preconceito é enorme, mas é um alivio, ao menos, um pouco, de que alguém ao menos tenta fazer algo!!!

_________________
Beijos suas Lindas
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sttefanne Camp
Administradora
Administradora
avatar


MensagemAssunto: Re: Formado com destaque em curso para vigilante, travesti diz que homofobia impede trabalho    Ter 01 Out 2013, 12:52

Pessoal...
Essa fantástica matéria nos mostra a realidade Brasileira... diz que o Brasileiro é colhedor, gente boa, etc... mas na prática?  confused  confused 

Será que vamos ficar a vida toda com as desculpas... "foi sempre assim..."... "mas minha criação..."... "minha religião não permite..."... "ahhh... não tenho nada contra, mas que fiquem longe de mim..."...

É de se pensar não? Rolling Eyes 

_________________
Beijos
Sttefanne
Voltar ao Topo Ir em baixo
Niele
Moderadora
Moderadora
avatar


MensagemAssunto: Re: Formado com destaque em curso para vigilante, travesti diz que homofobia impede trabalho    Ter 01 Out 2013, 13:01

Steff escreveu:
Essa fantástica matéria nos mostra a realidade Brasileira... diz que o Brasileiro é colhedor, gente boa, etc... mas na prática?
Essa historia de protestos contra a copa, a relutancia dos conselhos de medicina contra os medicos estrangeiros, homofobia, transfobia, cota para negros em faculdade e concursos publicos, isso tudo é mostra do preconceito brasileiro, do quao mesquinho nosso povo é.

_________________
Beijos suas Lindas
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mell_ftm
CD Experiente
CD Experiente
avatar


MensagemAssunto: Re: Formado com destaque em curso para vigilante, travesti diz que homofobia impede trabalho    Ter 01 Out 2013, 15:04

Odeio preconceituosos, odeio homo e transfobia, e infelizmente é rua mesmo para quen não consegue emprego.

No meu caso já sou concursada e estou acabando meu estágio probatório, se a esquizofrenia já atrapalha, imagina eu ir de homem para a escola, nem me deixaram entrar ou vão me transferir no dia seguinte.

_________________
--x Elvis x--
Me descobrindo novamente a cada amanhecer.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Catherina Sforza
CD Avançada
CD Avançada
avatar


MensagemAssunto: Re: Formado com destaque em curso para vigilante, travesti diz que homofobia impede trabalho    Qui 03 Out 2013, 11:19

Nosso país é um dos que mais possui diversidade em tudo, mas é o que tem a população mais preconceituosa, até dentro de casa, aliás, começa dentro de casa, ainda há muitos modelos de famílias machistas, lamentável, muito triste, mas me acalenta um pouco saber que ainda há seres humanos de verdade no mundo.

_________________
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mell_ftm
CD Experiente
CD Experiente
avatar


MensagemAssunto: Re: Formado com destaque em curso para vigilante, travesti diz que homofobia impede trabalho    Qui 03 Out 2013, 17:38

Minha mãe não adimite meu homossexualismo.

_________________
--x Elvis x--
Me descobrindo novamente a cada amanhecer.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Formado com destaque em curso para vigilante, travesti diz que homofobia impede trabalho    

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Formado com destaque em curso para vigilante, travesti diz que homofobia impede trabalho
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Crossdressing Place :: Artigos-
Ir para: