Também precisamos de heróis (e heroínas)