Estatísticas
Temos 133 usuários registradosO último usuário registrado atende pelo nome de crisscdzinhaOs nossos membros postaram um total de 9451 mensagensem 404 assuntos
Contador de Visitas

Compartilhe
Ir em baixo
avatar
stefanyemian
Administradora
Administradora

Anuncio BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO

em Ter 23 Out 2018, 16:50
BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO
Berenice Bento| Doutora em Sociologia | Professora da UFRN | Pós-doutoranda na CUNY/EUA (bolsa CNPq) | Autora de vários livros
No Brasil a população trans (travestis, transexuais e transgêneros) é diariamente dizimada.
De forma geral, os assassinatos contra esta população são contabilizados
(equivocadamente, ao meu ver) no cômputo generalizante de violência contra os LGBTTT.
Sugiro nomear os assassinatos cometidos contra a população trans como transfeminicídio,
reforçando que a motivação da violência advém do gênero. O conceito feminicídio foi
usado a primeira vez para significar os assassinatos sistemáticos de mulheres mexicanas.
Segundo a ONG Internacional Transgender Europe, o Brasil é o país onde mais ocorrem
assassinatos de travestis e transexuais em todo o mundo. Entre janeiro de 2008 e abril de
2013, foram 486 mortes, quatro vezes a mais que no México, segundo país com mais casos
registrados. Em 2013 foram 121 casos de travestis e transexuais assassinados em todo o
Brasil. Mas estes dados estão subestimados. Todos os dias, via redes sociais, nos chegam
notícias de jovens transexuais e travestis que são barbaramente torturadas e assassinadas.
O transfeminício se caracteriza como uma política disseminada, intencional e sistemática
de eliminação da população trans no Brasil, motivada pelo ódio e nojo. Qual a quantidade
de mortes é suficiente para chegar a esta conclusão? No Brasil não há nenhuma fonte
totalmente confiável. O que existe é um acompanhamento por algumas ONGs de ativistas
LGBTT de matérias jornalísticas sobre as mortes de pessoas LGTT. Nestas notícias, as
pessoas trans são apresentadas com o nome masculino e são identificados como "o
travesti". E no âmbito conceitual são consideradas como vítimas da homofobia. Acredito,
ao contrário, que as mortes das mulheres trans é uma expressão hiperbólica do lugar do
feminino em nossa sociedade.
Se o feminino representa aquilo que é desvalorizado socialmente, quando este feminino é
encarnado em corpos que nasceram com pênis, há um transbordamento da consciência
coletiva que é estruturada na crença de que a identidade de gênero é uma expressão do
desejo dos cromossomas e dos hormônios. O que este transbordamento significa? Que
não existe aparato conceitual, linguístico que justifica a existência das pessoas trans. Mesmo
entre os gays, é notório que a violência mais cruenta é cometida contra aqueles que
performatizam uma estilística corporal mais próxima ao feminino. Portanto, há algo de
poluidor e contaminador no feminino (com diversos graus de exclusão) que precisam ser
melhor explorados.
Durante toda a vida a pessoa trans luta para ser reconhecida por um gênero diferente do
imposto ao nascimento, no entanto, é considerada homem quando morre e mesmo a
contabilidade dos mortos feito por ativistas não enfatiza a dimensão de gênero. Há um
processo contínuo de esvaziamento e apagamento da pessoa assassinada.
processo de exclusão das pessoas trans começa muito cedo. Quando as famílias
descobrem que o filho ou a filha está se rebelando contra a "natureza" e que desejam usar
roupas e brinquedos que não são apropriados para seu gênero, o caminho encontrado
para "consertá-lo" é a violência. Geralmente, entre os 13 e 16 anos as pessoas trans fogem
de casa e encontram na prostituição o espaço social para sobrevivência financeira e
construção de redes de sociabilidade.
Em uma tentativa preliminar de caracterizar o transfeminicídio cheguei a seis recorrências:
1) O assassinato é motivado pelo gênero e não pela sexualidade da vítima. Conforme
sabemos, as práticas sexuais estão invisibilizadas, ocorrem na intimidade, na alcova. O
gênero, contudo, não existe sem o reconhecimento social. Não basta eu dizer "eu sou
mulher", é necessário que o outro reconheça este meu desejo de reconhecimento como
legítimo. O transfeminicídio seria a expressão mais potente e trágica do caráter político
das identidades de gênero. A pessoa é assassinada porque além de romper com os destinos
naturais do seu corpo-generificado, faz isso publicamente.
2) A morte ritualizada. Não basta um tiro fatal, ou uma facada precisa ou um
atropelamento definitivo. Os corpos são mutilados por dezenas de facadas, por inúmeros
tiros. Os corpos são desmembrados pelo peso do carro que o atropela várias vezes.
3) Ausência de processos criminais. Considerando que se trata de uma absoluta
impunidade, pode-se inferir que há um desejo social de eliminação da existência trans com
a conivência do Estado brasileiro.
4) As famílias das pessoas trans raramente reclamam os corpos. Não existe luto nem
melancolia.
5) Suas identidades de gênero não são respeitadas no noticiário da morte, na preparação
do corpo e no registro da morte. A pessoa assassinada retorna ao gênero imposto,
reiterando, assim, o poder do gênero enquanto lei que organiza e distribui os corpos
(vivos ou mortos) nas estruturas sociais.
6) As mortes acontecem em espaços públicos, principalmente nas ruas desertas e à noite.
Sugiro que a principal função social deste tipo de violência é a espetacularização exemplar.
Os corpos desfigurados importam na medida em que contribuem para coesão e
reprodução da lei de gênero que define que somos o que nossas genitálias determinam. Da
mesma forma que a sociedade precisa de modelos exemplares, de herói, os nãoexemplares,
os párias, os seres abjetos também são estruturantes para o modelo de
sujeitos que não devem habitar a nação.

_________________
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

São José do Rio Preto - SP
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
avatar
Rose Bleue
CD Avançada
CD Avançada

Anuncio Re: BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO

em Ter 23 Out 2018, 17:21
Stéfany, foi bom você ter encontrado esse artigo, por que queria aproveitar a deixa pra perguntar algo que está me incomodando muito nesse cenário político atual.

Foi só o "você-sabe-quem" estar na iminência de ganhar, que passamos a ver vários casos de homofobia, transfobia, etc, vindos de seus seguidores fanáticos. Se a maioria é fake news ou não, não sabemos, mas confesso que ver os comentários de certas pessoas nesses posts das redes sociais está me assustando.

Como será nosso futuro daqui pra frente? Será que teremos que nos "esconder e reprimir" ainda mais por causa da intolerância?

_________________
Aprendendo a ser como sou sem seguir estereótipos forçados, tanto pra lá, quanto pra cá.
avatar
stefanyemian
Administradora
Administradora

Anuncio Re: BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO

em Ter 23 Out 2018, 17:51
Vou dar minha opnião!

Sinceramente... acho que não irá mudar nada...
Vejo muita coisa que antes acontecia e ninguém falava nada... e hoje falam por causa de um causa política...
Sempre existiu gays, lésbicas, simpatizantes, até na época da ditadura... mas quando você "anda na linha", trabalha, não vai de contra as leis e ordens, nada acontece...

Mas muitos aproveitam o momento pra se beneficiar da situação.
Vemos muito hoje em dia, travestis reclamando, feministas reclamando, mas particularmente, não vejo casais gays, onde os dois moram juntos, trabalham, levam uma vida numa boa e normal como qualquer outro casal reclamarem...

Então eu vejo isso, independente do candidato, como um aproveitamento do momento...
Digo isso como opinião minha e respeito as outras... e estou aberto a ouvir e debater pacificamente e saudavelmente outras visões...

_________________
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

São José do Rio Preto - SP
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
avatar
stefanyemian
Administradora
Administradora

Anuncio Re: BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO

em Ter 23 Out 2018, 17:52
Outro detalhe, a maioria dessas reportagens que coloquei são de 3, 4 anos atrás, e não de hoje, então vemos que isso não é coisa de momento...

_________________
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

São José do Rio Preto - SP
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
avatar
Rose Bleue
CD Avançada
CD Avançada

Anuncio Re: BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO

em Ter 23 Out 2018, 21:56
Mas Stefany, e quanto aos comentários de ódio que estão pipocando nas redes sociais?

Tipo, sempre existiu intolerância, ok, mas você não via uma romaria de pessoas só por conta de entrar em uma postagem pra dizer coisas como:

"Esses lixo tem que morrer mesmo"
"Bando de viado, vão pro inferno @#$%@"

E por aí vai.

Antes ninguém nem ficava falando nisso em Facebook, Twitter, etc. Hoje, só falam nisso, e parece que o ódio está cada vez mais canalizado que antes. :/

Feminista, ativista LGBT, etc, reclamando da vida, sempre teve. Francamente, tem muitas reclamações válidas sim, mas também já vi muita gente desse meio se "fazer de vítima" por interesses pessoais, pra ganhar destaque na mídia, etc. O que pra mim, acaba invalidando completamente a causa em um todo pra muita gente. Mas mesmo assim, você nunca viu tanto ódio direcionado a essas pessoas antes.

_________________
Aprendendo a ser como sou sem seguir estereótipos forçados, tanto pra lá, quanto pra cá.
avatar
Katia
CD Master
CD Master

Anuncio Re: BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO

em Qua 24 Out 2018, 08:08
stefanyemian escreveu:Vou dar minha opnião!

Sinceramente... acho que não irá mudar nada...
Vejo muita coisa que antes acontecia e ninguém falava nada... e hoje falam por causa de um causa política...
Sempre existiu gays, lésbicas, simpatizantes, até na época da ditadura... mas quando você "anda na linha", trabalha, não vai de contra as leis e ordens, nada acontece...

Mas muitos aproveitam o momento pra se beneficiar da situação.
Vemos muito hoje em dia, travestis reclamando, feministas reclamando, mas particularmente, não vejo casais gays, onde os dois moram juntos, trabalham, levam uma vida numa boa e normal como qualquer outro casal reclamarem...

Então eu vejo isso, independente do candidato, como um aproveitamento do momento...
Digo isso como opinião minha e respeito as outras... e estou aberto a ouvir e debater pacificamente e saudavelmente outras visões...

Concordo
avatar
stefanyemian
Administradora
Administradora

Anuncio Re: BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO

em Qua 24 Out 2018, 10:45
Rose Bleue escreveu:...
Antes ninguém nem ficava falando nisso em Facebook, Twitter, etc. Hoje, só falam nisso, e parece que o ódio está cada vez mais canalizado que antes...

Volto a dizer, isso sempre existiu, e sempre existirá... mas muitos estão aproveitando o momento... vc vai ver, que depois das eleições, isso volta ao normal...

_________________
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

São José do Rio Preto - SP
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
avatar
Patricia Campi
CD Experiente
CD Experiente

Anuncio Re: BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO

em Qua 24 Out 2018, 22:59
Bom, eu que sou mais velha, voto com a Stefany. Isso sempre existiu, mas justamente por não haver internet, redes sociais e acesso rápido à informação, menos pessoas ficavam sabendo.

Hoje só está mais exposto. A mudança que eu vi é justamente ao contrário, as minorias estão se mostrando muito mais (apesar de também sempre terem existido), mas uma Parada Gay antigamente era impossível!! Isso, na minha opinião, só foi possível pelas tecnologias.

Minha humilde opinião.

Beijos

Patricia
Conteúdo patrocinado

Anuncio Re: BRASIL: PAÍS DO TRANSFEMINICÍDIO

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum